Rua Visconde de Inhauma, 56, Porto Alegre/RS

051 3217.9999

Rua Visconde de Inhauma, 56 051 3217.9999

ARTIGO: Salários atrasados x segurança pública

12/08/2019
 Historicamente, a Polícia Civil do RS desenvolve seu trabalho graças ao esforço, ousadia e dedicação de seus servidores, pois atua com meios materiais e humanos muito aquém do necessário para o volume e a complexidade do serviço. São comuns as histórias de armamento inadequado, coletes vencidos, viaturas sucateadas, falta de combustível, número insuficiente de policiais ante o crescimento da população e incremento da criminalidade, entre outros problemas.  Tudo isso vem sendo aceito pelos servidores, graças ao seu espírito público e consciência de sua responsabilidade social. Entretanto, os constantes atrasos no pagamento do salário estão ficando insuportáveis. Embora o Governo tenha antecipado de 13 para 8 de agosto a data do pagamento do saldo do salário de junho, o qual deveria ter pago em 28 de junho, temos um atraso de 40 dias. E ainda não se tem ideia de quando será pago o mês de julho. Paralelamente, se percebe que outros compromissos financeiros do Governo são cumpridos religiosamente em dia, passando a impressão de que apenas os servidores públicos do Poder Executivo têm que suportar esse período de "vacas magras". Não é possível estender por mais tempo a obrigação do servidor ter que se humilhar mensalmente pedindo empréstimo no Banrisul, "comprando" o seu salário reduzido pela cobrança de juros. Sem contar que muitos não conseguem o empréstimo por terem problemas junto ao banco. É preciso considerar que os serviços de segurança pública, de polícia, são feitos por homens e mulheres que dependem de sua remuneração, não só para sua subsistência, como para o sustento de seus familiares. Para manter os índices de excelência no combate a criminalidade divulgado e propagado pelo governo, precisamos dos policiais concentrados nas investigações e operações. Sem a preocupação de como pagar suas contas, colocar alimento em casa ou até a verba para se deslocar para o trabalho, pois esta atitude está comprometendo o profissionalismo do servidor. Não será com esse tratamento aos policiais que se dará à população gaúcha a segurança pública que ela exige e merece!